Portal da USP Portal da USP Portal da USP

n. 17 (2017)

Especial 'A outra Europa'


Capa da revista

Editora convidada: Zsuzsanna Spiry

Imagem da Capa: Colagem baseada em um postal (também colagem) originalmente elaborado pela poeta Wislawa Szymborska. No postal original, enviado a seus amigos, a Nobel polonesa brinca com interpretação de sonhos: cada tirinha exibe uma interpretação engraçada ou irônica, como "Sonhar com escova é presságio de maledicência". Na colagem atual, a coeditora Telma Franco substituiu as 'interpretações' por versos em diferentes línguas, de poetas da 'outra Europa'. Da esquerda para a direita, em sentido horário, esse 'poema-colagem' é lido em português como a seguir:

Bato à porta da pedra. [original polonês, verso do poema 'Conversa com a pedra', de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien]

E eis que aguardo o grande amor uma vez mais. [original búlgaro, do poema 'E eis', de Liubomir Lévtchev, tradução de Aleksandar Jovanovic]

Assim é desde o princípio. [original servo, do poema 'A forma desejada', de M. Pávlovitch, tradução de Aleksandar Jovanovic]

A lua há de cobrir-me, [original esloveno, do poema 'A lua há de cobrir-me', de Barbara Korun, tradução de Aleksandar Jovanovic].

eu que fui bétula, que fui lagartixa. [original polonês, do poema 'Estou perto demais', de W. Szymborska, tradução de Regina Przybycien]

Nuvens rubras fumegam no silêncio da tarde. [original búlgaro, do poema 'E eis', de Liubomir Lévtchev, tradução de Aleksandar Jovanovic]

Em vez de chagas, porém, brotam crostas-arrepios. [original macedônio, do poema 'O ventre na palma da mão', de Bogumil Diúzel, tradução de Aleksandar Jovanovic].

Deitarei na relva próxima ao poço e adormecerei.  [original esloveno, de 'A lua há de cobrir-me', de Barbara Korun, tradução de Aleksandar Jovanovic]

A extensa água revolve e renova o ventre. [original macedônio, do poema 'O ventre na palma da mão', de Bogumil Diúzel, tradução de Aleksandar Jovanovic]

Feito um espelho, eis-me diante [original húngaro, da canção 'Atingido pelo raio', tradução de Nelson Ascher, no livro Poesia Alheia]

de vós, que estais ao meu redor. [original húngaro, da canção "Atingido pelo raio", tradução de Nelson Ascher, no livro Poesia Alheia]

E o que quer que eu faça, [original polonês, do poema 'A vida na hora', de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien]

vai se transformar para sempre naquilo que fiz. [original polonês, do poema 'A vida na hora', de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien]

- Sou eu, me deixa entrar. [original polonês, do poema 'Conversa com a pedra', de Wislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien]